“Mãe” da Lava Jato vai dirigir a Polícia Federal

A delegada federal Érika Mialik Marena, uma das principais investigadoras da Lava Jato – e quem deu nome à famosa operação – está prestes a se tornar a nova diretora-geral da Polícia Federal.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Ela já tem o indicativo da maioria dos votos da lista tríplice da categoria, recém elaborada pela Associação de Delegados de PF e que será apresentada hoje.

O Governo Michel Temer foi avisado da saída de Leandro Daiello da diretoria-geral após a Olimpíada do Rio em agosto, a pedido do delegado. O caso é tratado sigilosamente para evitar especulações.

Para Temer, é um avanço político e na gestão. Uma vez com Érika na DG da PF, o presidente da República a inclui no rol de mulheres no alto escalão, e ganha a confiança de variados setores, indicando que não quer interferir nas investigações.

Caso o cenário não mude internamente ou no Governo, Érika pode ser a primeira mulher a comandar a corporação. Ela é de classe especial como manda a regra da escolha ( mais de 10 anos de carreira ), atuou em investigações e operações de campo e especializou-se em investigação contra o crime organizado.

Erika Mialik Marena é uma das delegadas que iniciou as investigações da Operação Lava Jato, junto ao delegado Márcio Adriano Anselmo, no Paraná, em julho de 2013. Ela é especialista em investigações sobre crimes financeiros.

As informações estão postadas no blog “Coluna Esplanada”, assinada pelo jornalista Leandro Mazzini, a quem, o cristalvox faz “reverência pública” pelo “raro” nível de informação e seriedade que impõe a seu trabalho!