marcelo-odebrecht  Michel Filho Agência O Globo

Novas prisões e a devastadora panilha da propina da Odebrtecht: Sérgio Moro decreta sigilo

O juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pelas ações penais da Operação Lava Jato, decretou sigilo do inquérito da Polícia Federal que investiga crimes relacionados ao Setor de Operações Estruturadas da empreiteira Odebrecht.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Em despacho publicado nessa quinta-feira (29), no sistema eletrônico da Justiça Federal, o juiz afirma que novos mandados podem ser cumpridos contra terceiros e a divulgação dos autos poderia comprometer a investigação.

“Como as investigações dos pagamentos nesse setor têm desdobramentos imprevisíveis, o que poderá levar à necessidade de novas diligências, inclusive novas quebras e buscas, decreto sigilo sobre estes autos em relação a terceiros e aos investigados. Observo, ademais, que nenhum dos investigados no processo 5046159- 54.2016.4.04.7000 sofre no momento qualquer restrição a sua liberdade ou a sua propriedade. Franqueado, por ora, o acesso apenas à autoridade policial e ao MPF, sem prejuízo do levantamento do sigilo quando não houver mais riscos às investigações”, despachou o juiz.




O juiz também determinou que o acesso ao inquérito pelos investigados será decidido caso a caso.

Em petição encaminhada nessa quarta, a defesa do ex-ministro Antônio Palocci, questionou o sigilo de parte da investigação. Sérgio Moro respondeu em despacho que a defesa indique especificamente o pedido de acesso. “Observo que a maior parte dos procedimentos relacionados ao presente feito tramitam sem sigilo ou sob sigilo nível 1, estando acessível, portanto, às partes, ainda que via processo relacionado. Caso haja algum procedimento a que a Defesa não tenha acesso, deve indicar especificamente o número para viabilizar análise individualizada deste Juízo”, disse o juiz.

Considerando que Palocci será ouvido nesta quinta-feira (29), o juiz liberou o acesso da defesa. “Especificamente no que diz respeito ao inquérito 5054008-14.2015.404.7000, considerando-se que Antonio Palocci Filho será ouvido pela autoridade policial na data de amanhã (quinta), defiro o acesso ao referido inquérito”, encaminhou.

Conteúdo: Portal PARANÁ