Moro e Lava Jato prendem Palocci: “O chefe do poderoso MOA Odebrecht”

Além do pai, Emílio Odebrecht, e do avô, Norberto Odebrecht, poucas pessoas devem ter sido tratadas ou vistas como “chefes” durante a carreira do “príncipe dos empreiteiros”, Marcelo Odebrecht.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

O ex-ministro Antonio Palocci, preso nesta segunda-feira na 35ª fase da Lava Jato, é uma delas. Em mensagem enviada ao então homem forte do primeiro mandato de Dilma Rousseff, em dezembro de 2010, Odebrecht se dirige a Palocci como “chefe” e lamenta um desencontro após a diplomação de Dilma como presidente: “não consegui lhe ver 6ª na recepção pós-diplomação”.
“Há algum tempo conversamos sobre o momento/oportunidade de um reforço na área de E&P (Estrela)”, segue o empreiteiro, em uma referência ao então diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella. “Acho que a oportunidade chegou”, introduz Marcelo Odebrecht, antes de pedir que Palocci analise um texto com as pretensões da empreiteira para a área de equipamentos e instalações embaixo da lâmina d’água, “uma grande concorrência (aprox. US$ 1,3 bi)”, como salienta. Após se colocar à disposição para ir “sem problemas” a São Paulo ou Brasília “pois acho uma importante uma ação/recomendação urgente”, Odebrecht ainda sugere a Antonio Palocci a nomeação do “excelente quadro” Luiz Navarro, então secretário-executivo da Controladoria-Geral da União (CGU), “para avaliar como ele poderia se ajustar em espaços do novo governo”.

Leia abaixo a íntegra da mensagem a Palocci:
Chefe,
Não consegui lhe ver 6ª na recepção pós diplomação.
A [sic] algum tempo conversamos sobre o momento/oportunidade de um reforço na área de E&P (Estrela).
Acho que a oportunidade chegou. Trata-se de uma grande concorrência (aprox. US$ 1,3 bi) para o mercado de projetos subsea (equipamentos e instalações embaixo da lâmina d’água), que tende a crescer exponencialmente no pré-sal. Este mercado é totalmente dominado por estrangeiras, e nós estamos a ponto de colocar um pé nele. Se perdemos esta oportunidade, as novas serão cada vez mais complicadas.
Peço que avalie o texto em anexo e qualquer dúvida nos falamos. Estou em Salvador nesta semana, mas posso sem problemas ir para SP ou BSB caso necessário, pois acho importante uma ação/recomendação urgente.
Um outro tema: não sei se você conhece Luis Navarro, Secretário Executivo da CGU. A pessoa dele comandou de forma efetiva a CGU, e penso que isso é reconhecido dentro e fora do órgão. Acho que vale a pena você recebê-lo para avaliar como ele poderia se ajustar em espaços no novo governo. É um excelente quadro.
Forte abraço e Obrigado
Marcelo

Conteúdo Veja

%d blogueiros gostam disto: