Medina Osório(AGU), demitido por Padilha, é uma “bomba de neutrons” ambulante: sabe tudo e de todos na Lava Jato

O Cristalvox volta a passear nas postagens realizadas pelo site o Antagonista que conta, em detalhes, a conversa “dura” e “tensa”  mantida pelo Ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu padilha e o “demitido” Advogado Geral da União, Fábio Medina Osório.  No encontro, Padilha comunicou a Medina Osório que ele estava sendo demitido da AGU. Os gaúchos conhecem o “temperamento” de ambos. Nenhum leva desaforo para casa! Briga de “titãs”…


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Escreve o Antagonista:

“Na reunião ocorrida na Casa Civil, no início da noite, Fábio Medina Osório disse que só aceitaria ser demitido pelo próprio Michel Temer. Eliseu Padilha, colérico, rebateu: “Não vou deixar você falar com ele!
“Quando assumiu a AGU, Fábio Medina Osório deu demonstrações claras de que recobraria a independência do órgão de Estado sequestrado pela gestão petista desde o início do governo Lula.

Passaram pela AGU nos últimos anos os petistas Álvaro Augusto Ribeiro Costa, Antonio Dias Toffoli, Luis Inácio Adams e José Eduardo Cardozo.

Desde o início, Eliseu Padilha queria uma AGU a seus pés e disse diversas vezes nos bastidores que Medina não havia entendido sua missão: “Ele tem que ser o AGU do Temer!”

O que Padilha quer é mais um Cardozo, um Adams, um Toffoli.”

“Eliseu Padilha foi quem indicou Fábio Medina Osório para a AGU, mas se arrependeu logo de cara quando o advogado abriu várias ações indenizatórias contra as grandes empreiteiras do petrolão, exigindo a restituição aos cofres públicos de mais de R$ 12 bilhões.

Medina Osório foi cobrado pessoalmente por Michel Temer a agir com ‘fidelidade’ ao governo. A situação foi pacificada, mas Padilha passou a plantar notinhas na imprensa contra o AGU.

A gota d’água foi o pedido ao STF para ter acesso aos inquérito da Lava Jato, com o objetivo de mover ações de improbidade contra autoridades envolvidas no petrolão, como Gabrielli, Gleisi Hoffmann e Sérgio Machado.

Padilha passou a despachar diretamente com a advogada da União Grace Mendonça, que deixou de cumprir as ordens de Medina Osório.

Na reunião agora à noite, ele disse que falava em nome de Michel Temer. Se for verdade, esse é o início do fim do governo.”

 

%d blogueiros gostam disto: