Máfia bandida na Lava Jato… Funaro ameaçou e a advogada Cata Preta “fugiu” do Brasil

Beatriz Catta Preta contou a investigadores da Lava-Jato, no ano passado, em conversa gravada, ao menos parte das razões para deixar o Brasil, justamente no momento em que brilhava como a criminalista que mais delações tinha negociado até então na Lava-Jato: sentiu-se ameaçada por Lúcio Funaro…


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

– Ao  chegar um dia em casa e encontrar o doleiro sentado no sofá brincando com seus filhos.

– Funaro vinha pedindo que Eduardo Cunha não aparecesse nas delações que Beatriz negociava.

Na ocasião, valeu-se da intimidade com a família — ela advogou para Funaro no passado — para entrar na casa.

Depois, em depoimento, no entanto, Beatriz foi mais branda e omitiu a parte de Funaro com seus filhos, mas manteve que saía do país por sentir-se ameaçada por ele.

Em junho de 2105 a Folha publicou:

“A advogada criminalista Beatriz Catta Preta afirmou à reportagem do Estado que renunciou à defesa dos delatores da Operação Lava Jato porque “teme sofrer algum tipo de violência”. “Sou ameaçada de forma velada, insistentemente, por pessoas que se utilizam da mídia para tanto, bem como pelas declarações de políticos membros da CPI”, afirma Beatriz Catta Preta.
Ela decidiu encerrar sua carreira.
O que a levou a sair de cena em meio ao maior escândalo de corrupção do País é que, em sua avaliação, é que o caso “tornou-se um jogo político”, atingindo a ela e a seus familiares. “Minha atuação profissional sempre foi jurídica e, ao deixar de ser tratada assim, decidi encerrar minha carreira”, afirma.

Conteúdo Folha e Lauro Jardim

%d blogueiros gostam disto: