Lula: estou triste que Moro tenha aceitado denúncia, mesmo ela sendo uma farsa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira, 20, que o Brasil vive momento de anomalia política, onde o que menos importa é a verdade. Falando em uma transmissão ao vivo para um evento em apoio a ele em Nova York, Lula disse que é um homem de consciência “muito tranquila” e não quer privilégios. “Estou triste que o juiz (Sergio) Moro aceitou a denúncia contra mim, mesmo sendo uma farsa, uma grande mentira”, diz Lula. “Mas temos advogados e vamos brigar e vamos continuar lutando.”


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

“Se alguém apresentar uma prova, não estou pedindo duas, apenas uma prova contra mim, quero ser julgado como qualquer cidadão brasileiro. Eu não quero privilégio, eu não quero mentira”, disse o ex-presidente arrancando aplausos da plateia, que gritava “Lula, guerreiro do povo brasileiro”.

“As coisas estão funcionando de forma tão absurda (no Brasil), que dois dias após o impeachment da presidente Dilma ser votado no Senado eles mudaram a lei”, disse o ex-presidente mencionando a regra das pedaladas fiscais. “Sou um profundo respeitador da instituição Ministério Público e sou profundo respeitador da tese de todos são iguais perante a lei”, disse Lula, destacando que um ex-presidente tem que ter o mesmo tratamento que um servente de pedreiro ou um carpinteiro.




“Este é o princípio fundamental da minha vida. Mas não posso aceitar o que está acontecendo no Brasil neste instante, onde o que menos importa é a verdade”. Na última semana, disse ele, alguns representantes do MP fizeram “espetáculo de pirotecnia” para mostrar acusações ao Lula, disse ao falar de quando sua denúncia na Lava Jato foi apresentada em Curitiba. “Ninguém pode ser julgado por convicção de um promotor.”

“Quero que as pessoas compreendam que fui presidente do Brasil. Talvez eu seja um intruso na história republicana brasileira”, disse o ex-presidente, destacando que “talvez não estivesse previsto” um ex-metalúrgico virar presidente do País e fazer transferência de renda. Com esta declaração, Lula arrancou aplausos da plateia, em um restaurante em Manhattan.

“Nenhum cidadão do mundo hoje está mais indignado do que eu”, afirmou Lula. Para ele, no Brasil antes, só pobre era preso e é importante que ricos sejam presos, mas desde que haja provas. “Eu duvido que tenha empresário minimamente sério neste País que tenha coragem de dizer que o Lula pediu um dólar para ele”.

Conteúdo Estadão

%d blogueiros gostam disto: