vp odebrect

Homem da Odebrecht promete implodir governo – O Antagonista prevê “tsunami gigantesco” em Brasília

Dizem Diogo, Mário e Cláudio…


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

“O Antagonista revelou no início do mês que o delator , ex-VP de Relações Institucionais da Odebrecht, entregou à PGR cerca de 30 nomes de políticos, a maioria do PMDB.

Do núcleo duro de Michel Temer, já sabemos que Melo Filho delatou até agora Moreira Franco, Romero Jucá e Geddel Vieira Lima – além de Renan Calheiros. Outros virão.

 Quem acompanha O Antagonista sabe de tudo antes. Em maio, revelamos que Claudio Melo Filho era o “homem da mala” da Odebrecht em Brasília. Como ex-VP de Relações Institucionais, seu papel era travar contatos diários com o Legislativo, o Executivo e o Judiciário na capital federal.

Melo Filho é um arquivo vivo do relacionamento promíscuo que se estabeleceu entre a Odebrecht e integrantes dos três poderes – sim, ele também conversava com ministros do STF e do STJ.

Melo Filho caiu na Operação Vitória de Pirro, a mesma em que Gim Argello acaba de ser condenado a 19 anos de prisão. Em sua delação, o ex-VP também contou dos contatos com Vital do Rêgo, hoje ministro do TCU, e Marco Maia, para blindar a empreiteira na CPI da Petrobras.

Melo Filho também é investigado na Operação Acrônimo, que tem como alvo principal o governador Fernando Pimentel. Se o seu acordo de colaboração for homologado, o ex-VP poderá concluir a construção de sua mansão às margens do Lago Paranoá, em Brasília.

Releiam aqui o que publicamos em maio sobre o dito cujo.

O Antagonista revelou no início do mês que o delator Claudio Melo Filho, ex-VP de Relações Institucionais da Odebrecht, entregou à PGR cerca de 30 nomes de políticos, a maioria do PMDB.

Do núcleo duro de Michel Temer, já sabemos que Melo Filho delatou até agora Moreira Franco, Romero Jucá e Geddel Vieira Lima – além de Renan Calheiros. Outros virão.

Releiam o que já publicamos sobre a delação de Claudio Melo Filho:

EDDEL NA DELAÇÃO DA ODEBRECHT

Claudio Melo, ex-vp de relações institucionais da Odebrecht, confessou ter repassado propina ao ministro Geddel Vieira Lima.

Já são três os ministros de Michel Temer identificados por delatores na planilha da empreiteira. Geddel tem mantido a versão de que só pediu às empreiteiras doações oficiais.

EXCLUSIVO: RENAN, CODINOME ‘JUSTIÇA’

Claudio Melo, o ex-VP de relações institucionais da Odebrecht, apontou repasses de propina para Renan Calheiros, que recebeu o codinome “justiça” nas planilhas do Setor de Operações Estruturadas.

Justiça seja feita: Renan foi ministro da Justiça de FHC.

EXCLUSIVO: BRUNO ARAÚJO NA DELAÇÃO DA ODEBRECHT

Claudio Melo, ex-VP de Relações Institucionais da Odebrecht, também entregou o deputado tucano Bruno Araújo, ministro das Cidades.

Bruno já aparecia nas planilhas do departamento da propina da empreiteira. Melo confirmou os repasses”