Eduardo Cunha vai “jogar” PMDB e PT na fornalha do CAPIROTO

A classe política brasileira está em pânico com a prisão de Eduardo Cunha. O ex-presidente da Câmara dos Deputados guarda segredos que, se revelados, serão capazes de dizimar “o grande grupo dominante” em atividade no Congresso Nacional.  Raras cabeças sobreviverão ao “Armagedom” que se avizinha, ao devastador tsunami que começa emergir das celas da Policia Federal em Curitiba. Eduardo Cunha, em sua defesa no plenário da Câmara foi muito claro ao avisar que o “efeito orloff” era inevitável,  caso fosse caçado e preso. Se materializaram as duas hipóteses. Os deputados catapultaram o “dono do centrão” e Sérgio Moro não pensou duas vezes, tão logo teve o controle processual: Prendeu Eduardo Cunha.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Desde o impeachment de Dilma Rousseff as revistas semanais não era editadas de forma tão “ácida” para com a classe política.  A revelação de ÉPOCA de que Eduardo Cunha funcionou como tesoureiro informal do PMDB, de plano, mostra o “tamanho do buraco” e o precipício em que foram jogados os caciques do seu partido.

De aperitivo, Eduardo Cunha deixa vazar que o PMDB recebeu 40 milhões de reais para aceitar a parceria na chapa de Dilma Rousseff. O editor do cristalvox não acredita nessa história por ser ridícula. Nenhum partido do tamanho do PMDB, com sua espetacular geografia de votos e poder,  se venderia por tão pouco. Se a adesão foi econômica, podem ter certeza os leitores que a cifra pula do milhão para o bilhão.




Época sugere que o comando político do PMDB instalado na Câmara e no Senado dividia funções, mas que o caixa era e é único.  A Lava Jato sangrou as contribuições e a impossibilidade de doações por pessoas jurídicas, ligou a luz vermelha do cofre do partido do Presidente.

A integridade da família de Eduardo Cunha será preponderante para determinar o ângulo que sua boca irá se projetar. Quanto maior a pressão, quanto mais eloquente o abandono, mais perigosa será sua língua.

Vale a máxima que boca grande não entra no céu… mas que boca grande leva, com certeza, direto para o inferno. E neste momento,   Eduardo Cunha está muito mais para “diabo” do que para pastor  de ovelhinhas.  PMDB e  PT serão apenas combustível para alimentar a fornalha do “capirto”.

%d blogueiros gostam disto: