Laurita

Corrupção é um “câncer”, diz nova presidente do STJ

‘Ninguém aguenta mais tanta desfaçatez e impunidade’. A corrupção é um câncer, retira a comida dos pratos das famílias, compromete o desenvolvimento do país, esvazia os bancos escolares, diz a ministra Laurita Vaz, nova presidente do STJ, primeira mulher a assumir a Corte.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Ao tomar posse como presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a ministra Laurita Vaz fez um forte discurso contra a corrupção. Um dia depois do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, ela disse que “ninguém aguenta mais tanta desfaçatez e impunidade”. Ao seu lado estavam o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que presidiu o impeachment, o presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, e o presidente em exercício do Senado, Jorge Viana (PT-AC). Laurita é a primeira mulher a presidir o STJ.

— O país, nesse momento, luta para se restabelecer e precisa de respostas firmes aos incontáveis desmandos revelados. A população exige uma reação imediata e proporcional, ninguém aguenta mais tanta desfaçatez, tanto desmando, tanta impunidade — discursou a nova presidente do STJ.




A plateia estava repleta de políticos. Entre eles o governador de São Paulo, Geraldo Alckmim (PSDB), o governador do DF, Rodrigo Rolemberg (PSB), o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e os senadores Romero Jucá (PMDB-RO) e Eunício Oliveira (PMDB-CE). Jucá foi citado em um áudio do delator Sergio Machado (ex-presidente da Transpetro) propondo um pacto para ” estancar a sangria”da operação Lava-Jato.

Conteúdo o Globo – por Catarina Alencastro Foto Ailton Freitas