Coca Cola gaúcha é vendida para mexicanos por R$ 3, 5 bilhões de reais

A Coca-Cola FEMSA, maior engarrafadora de produtos Coca-Cola no mundo em volume de vendas, anunciou nesta sexta-feira (23) a compra da Vonpar, braço de bebidas do grupo gaúcho. O valor da transação é de R$ 3,508 bilhões.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

A família Vontobel receberá em dinheiro R$ 1,73 bilhão, R$ 688 milhões serão convertidos em ações da Femsa e R$ 1,1 bilhão serão emitidos em notas provisórias para resgate em três anos, podendo também ser transformados em capital acionário.

O acordo, que ainda precisa ser aprovado pelo Conselho de Administrativo de Defesa Econômica (Cade), garante a presença da companhia na região Sul do país, estendendo sua atuação nos mercados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

A Femsa passa a ser a maior operadora da marca Coca-Cola no mercado brasileiro, com 49% do volume no País. Segundo a companhia, a combinação das capacidades elevará o alcance a 88 milhões de consumidores (43% da população e 54% do PIB).

A Vonpar tem uma divisão de alimentos, com marcas como Mu-Mu e Neugebauer, que não entrou no negócio. Em 12 meses, a empresa vendeu 190 milhões de caixas unidade de bebidas, incluindo 23 milhões de caixas unidade de cerveja, gerando aproximadamente R$ 2,026 bilhões na receita líquida e um EBITDA estimado proforma de R$ 335 milhões.

A Vonpar é responsável pela produção e distribuição de Coca-Cola, Fanta, Kuat, Del Valle e outras bebidas das marcas da The Coca-Cola Company que servem aos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A empresa foi fundada em 1948, produzindo e distribuindo Laranjinha, uma marca local de refrigerantes no estado do Rio Grande do Sul. Atualmente, dispõe de três instalações de engarrafamento (situadas em Porto Alegre, Santo Ângelo, no Estado, e Antônio Carlos, em Santa Catarina), e cinco centros de distribuição com cerca de 4 mil funcionários, atendendo a 15,4 milhões de consumidores.

As sinergias a serem capturadas em 18 a 24 meses é estimada em R$ 65 milhões, obtida com a rede de logística, otimização da capacidade de processamento, eficiências em despesas administrativas e adoção de práticas comerciais da Coca-Cola Femsa.

Conteúdo Jornal do Comércio – Foto João Matos

%d blogueiros gostam disto: