direita panela

Centro-Direita vence no Brasil, afirma imprensa internacional

A imprensa internacional destacou o segundo turno das eleições municipais no Brasil, focando principalmente o resultado do Rio de Janeiro, onde Marcelo Crivella (PRB) venceu Marcelo Freixo (PSOL). Os sites de alguns dos principais jornais do mundo destacaram a vitória de um líder evangélico na cidade que sediou a Olimpíada de 2016 e a guinada à direita nos principais municípios da maior nação da América Latina.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Nos Estados Unidos, reportagem do Wall Street Journal apontou que candidatos “marginais e conservadores” foram eleitos em várias cidades brasileiras depois de candidatos de maior tradição política terem sido rejeitados. Segundo o WSJ, Crivella pintou seu rival Freixo “como um radical em uma nação cansada da esquerda após o impeachment da presidente Dilma Rousseff em agosto”. “É possível atribuir Crivella a essa onda conservadora no Brasil”, disse Marcos Pinto, analista do grupo de pesquisa política do Departamento Consultivo Interparlamentar ao WSJ. “Ele surge em um clima de desespero.”

A agência de notícias Associated Press assinalou que o triunfo do conservador Crivella é “a mais recente demonstração de raiva generalizada contra partidos de esquerda estabelecidos em meio a uma recessão profunda e na sequência do processo de impeachment”. A AP também chamou a atenção para a ascensão de políticos evangélicos. “As observações de Crivella contra gays, católicos romanos e religiões africanas indignaram muitas pessoas, mas fizeram pouco para mudar a votação.”

O El País também destacou o embate do Rio de Janeiro, afirmando que o pleito colocou em disputa dois modelos. “Um é o de Crivella, senador desde 2002, engenheiro e cantor gospel, defensor da Teoria Criacionista, evangelizador na África e bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, a terceira com mais fiéis no Brasil, fundada por seu tio. Freixo, pelo contrário, defende a legalização do aborto e das drogas e encarna a esquerda em plena crise do PT e da ex-presidente Dilma Rousseff”, disse a publicação.

O jornal destacou ainda que o novo prefeito enfrenta o enorme desafio de um Rio pós-olímpico, citando o aumento do desemprego, as consequências da crise financeira no Estado e a necessidade de o Rio ganhar projeção como destino turístico empresarial. “Os milhões de cariocas também precisam de coisas básicas como saneamento urbano, ruas que não se transformem em rio na época das chuvas, habitações sociais ou ônibus com ar condicionado em verões que superam os 45 graus.”

O Le Monde também apontou a ascensão de partidos de direita no Brasil e destacou que todas as atenções estavam voltadas para o Rio de Janeiro neste domingo, com a “Cidade Maravilhosa” pós-Olímpica sendo o palco de uma luta de poder entre dois candidatos “diametralmente opostos”. “O sucesso do candidato conservador simboliza a expansão da religião evangélica no país com o maior número de católicos do mundo”, apontou o jornal francês, que destacou ainda o ocaso do PT nas principais capitais.

Conteúdo estadão e Diário do Poder