A lei está nas mãos de quem cometeu crimes na Lava jato – Diz Procurador Deltan Dallagnol

‘A sociedade sentiu uma espécie de catarse’, diz Deltan sobre prisão de Sérgio Cabral’. Em entrevista ao Estadão, procurador da força-tarefa da Lava Jato defende energicamente projeto 10 Medidas contra a Corrupção e afirma que a operação ‘está buscando punir pessoas poderosas, inclusive quem fez a lei, com a própria lei’. Publicada no Estadão, assinada pelos jornalistas Eduardo Kattah, Mateus Coutinho e Fausto Macedo


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

O procurador da República Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato, afirmou que ‘a lei está na mão das pessoas que serão punidas (pela operação)’, em referência a parlamentares, e disse esperar que o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) tenha o mesmo entusiasmo que tem para questionar supersalários nos Três Poderes para buscar medidas de combate à corrupção.

Em entrevista ao Estadão, nesta quinta-feira, 17, o procurador defendeu enfaticamente o projeto 10 Medidas contra a Corrupção, uma iniciativa do Ministério Público Federal a partir da Lava Jato.

Incansável na guerra contra os malfeitos, ele disse que a prisão do ex-governador Sérgio Cabral, do PMDB, ‘é mais um sinal de que a Lava Jato é apartidária’.
“Todos que integram o time da Lava Jato (procuradores, delegados federais, auditores da Receita e outros profissionais dessas instituições) não têm qualquer vinculação político-partidária nessa história”, afirmou.

Deltan disse que ‘a sociedade sentiu uma espécie de catarse’ com a prisão do peemedebista.

Sobre a ofensiva de Renan, o procurador declarou. “O que esperamos é que, com o mesmo entusiasmo que ele (Renan Calheiros) está buscando essas iniciativas (de analisar os supersalários) sejam também buscadas iniciativas de combate à corrupção, de reforma do sistema político que incentiva hoje a corrupção e iniciativas para que possamos ter salários inferiores ao limite do Supremo Tribunal Federal”, afirmou Deltan, em entrevista ao Estadão nesta quinta-feira, 17.

O procurador disse ainda que o Ministério Público Federal endossa as iniciativas para que o teto constitucional dos salários dos servidores seja respeitado em todos os Poderes.

Lembrou que a Procuradoria da República no Distrito Federal já move ações questionando irregularidades em vencimentos de servidores do Senado. O procurador classificou como ‘sentimento de auto-preservação’ as iniciativas de políticos diante das perspectivas de serem atingidos pelo avanço das investigações.

“A Lava Jato está buscando punir pessoas poderosas, inclusive quem fez a lei com a própria lei. O detalhe é que a lei está na mão dessas pessoas que serão punidas”, afirmou. Confira trechos da entrevista do procurador Deltan Dallagnol.

Leia a entrevista completa em

‘A sociedade sentiu uma espécie de catarse’, diz Deltan sobre prisão de Sérgio Cabral

%d blogueiros gostam disto: