close

Temer já “costurou” o GOLPE e a democracia já “esfarelou”

temermC3A3onoslC3A1bios…AdrianoMachadoReuters
Blog do Rovai, assinado por Renato Rovai, publica que está postado na Revista Fórum a  informação de   que ” o  jornalista e escritor Fernando Morais denuncia no seu Nocaute  que aconteceu, no sábado, uma reunião entre o presidente ilegítimo, Michel Temer, e tucanos de alta patente para construir a saída para a crise. Fernando Morais foi do PMDB por muito tempo e ainda mantém contatos com pessoas que conhecem os bastidores deste governo. É leitura fundamental. O golpe dentro do golpe e contra as diretas já está em ritmo acelerado.
Segue a nota do Nocaute:
Um grande acordo da Casa Grande começou a ser costurado no último sábado em uma reunião “social” ocorrida no Palácio do Jaburu. Participaram do encontro, além de Temer, o general Sérgio Etchegoyen (ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional), os ministros Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Bruno Araújo (Cidades), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidencia) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Para disfarçar, Marcela Temer recebeu em outro ambiente do palácio as esposas presentes. Por meio de mídia eletrônica o encontro foi acompanhado à distância pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
Os principais termos do acordão são os seguintes:
– Temer deve sair logo, para evitar a cassação pelo TSE e a eventual convocação de eleições diretas já para presidente da República.
– Esvaziar a Operação Lava Jato.
– Formar um governo de maioria tucana, no qual Henrique Meirelles seria substituído no Ministério da Fazenda por Armínio Fraga.
– Garantir o silêncio de Eduardo Cunha com a preservação da liberdade de sua mulher e sua filha.
– Controlar a delação de Palocci, que se torna irrelevante com o acordão.
Como o plano não contempla todos os problemas dos golpistas, há dúvidas sobre como solucionar algumas questões-chave e sobre a mesa ainda há obstáculos a serem superados:
Oferta de anistia aos crimes de Caixa 2, com o que livrariam a pele, entre outros, de Moreira Franco, Eliseu Padilha e demais congressistas que fazem parte da “lista de Fachin”. Com isso os golpistas imaginam neutralizar o ex-presidente Lula e seus familiares, que seriam beneficiados pela medida.
Não há consenso a respeito do nome que seria eleito indiretamente com a saída de Temer. O mais cotado parece ser mesmo o ex-ministro Nelson Jobim. O lançamento informal pelos tucanos do nome do senador Tasso Jereissati teria sido apenas uma cortina de fumaça, um “boi de piranha” previamente acordado com o político cearense.
Ainda não se conseguiu solucionar o “problema Rodrigo Maia” e a fórmula legal para oferecer garantias a Temer após sua saída – seja ela indulto, perdão ou salvo-conduto.
Aparentemente não há objeções maiores ao acordão por parte das Forças Armadas – aí incluídos os oficiais da reserva, que não mandam mas fazem barulho.
Fonte:
http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2017/05/29/fernando-morais-revela-detalhes-de-reuniao-entre-tucanos-e-temer-para-montar-novo-golpe/
http://www.nocaute.blog.br/brasil/exclusivo-esta-sendo-armado-novo-golpe-dentro-do-golpe-e-fora-temer-e-tucanos-no-poder.html

1 Comentário

  1. Estou tentando entender, sobre que golpe e de golpistas estão falando?
    Impedir as DIRETAS JÁ? Como assim?
    Em que parte da nossa constituição está escrito que as diretas já devem se dar no caso de vacância do cargo de presidente ou vice-prezidente nos últimos dois anos de mandato? DIRETAS JÁ é INCONSTITUCIONAL. Entendam isso esquerdopatas. Não houve golpe, uma vez que foram os eleitores de Dilma quem colocaram Michel Temer na vice-presidência. Ele fez o que devia fazer, assumir o cargo na ausencia da Presidente, seja por qual razão for. Ele fica no poder até às eleições de 2018.Caso contrário, o chefe da Câmara assume por 39 dias e então haverá eleições INDIRETAS até 2018. Acho que os esquerdomasoquistas não se conformam com a queda de Dilma e Lula. Diretas já é para dar oportunidade de Lula voltar e se perpetuar no poder e fugir de Sérgio Moro. Isso sim é golpe. Não concordo com Temer, quero ele fora do governo e sua prisão, mas daí,chamar o estar ele como presidente da República Federativa do Brasil, de golpe, é um tremendo NON SENSE.

Deixe seu comentário