close

Temer assiste a “prisão” de seus escudeiros: Falta prender Geddel”…

temer – homens do presidente

O ex-ministro do Turismo e colega de partido do presidente Michel Temer (PMDB), Henrique Eduardo Alves, preso nesta terça-feira (6) pela Polícia Federal em desdobramento da operação Lava Jato, tinha trânsito livre no Palácio do Planalto, segundo assessores do governo.

Reconhecido como uma figura do alto escalão do PMDB e do governo, Henrique Alves costumava frequentar o terceiro andar do Planalto para conversar com Temer no gabinete presidencial.

Para andar pelo pavimento de onde despacha o presidente, é preciso ter autorização prévia. A permissão é concedida somente a aliados e integrantes do círculo de confiança de Temer, além de ministros e assessores. Os encontros de Henrique Alves com o presidente, porém, nem sempre eram registrados na agenda oficial. Neste ano, por exemplo, o nome de Alves não aparece em nenhuma data.

Nas palavras de um assessor do governo, a prisão de Alves foi “inesperada”. A divulgação nesta terça-feira (6) – dia em que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) retomou o julgamento da chapa Dilma-Temer – de eventuais gravações que envolvessem de alguma forma o presidente não eram descartadas por sua equipe. Entretanto, a prisão de um auxiliar tão próximo a Temer não estava no radar….

Conteúdo UOL, assinado pela jornalista Luciana Amaral.

Tags : chapa Dilma-TemerHenrique Eduardo AlvesMichel Temeroperação Lava JatoPalácio do PlanaltoPMDBPolícia FederalTribunal Superior Eleitoral

1 Comentário

Deixe seu comentário