Senadores e Deputados em pânico em Brasília: Sérgio Machado sabe quem são as amantes do Poder

A mais devastadora seção da delação de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, trata de sexo, álcool, drogas e muito dinheiro.  A ordem dos fatos não altera o conteúdo do que foi contado aos investigadores. Tem político que devolve tudo o que roubou. Em troca, não ser dedurado para a “patroa”.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Em assuntos entre marido e mulher, não se mete a colher.  Esse velho e batido “adágio popular” não vale para o “grande mentiroso” Sérgio Machado. Ele, se valendo de uma “manjada e batida” estratégia “extraía” confissões de adultérios de senadores e deputados. Com o interlocutor da vez, falava mal do outro. Insinuava que sabia da traição, que possuía gravações e vídeos.  Assustada,  a “vítima” caia na armadilha e abria tudo que sabia do amigo.

Sérgio Machado, sem ser policial agiu com extrema audácia. Foi enrolando um a um.  Colheu um valiosíssimo material. Nitroglicerina pura,  pronta para explodir casamentos, segundos relacionamentos e abandonos de amantes mais ciumentas.

De oficial se sabe que os investigadores da Polícia Federal estão de posse de documentos que não desvendam apenas de corrupção financeira, mas também matrimonial. Alguns dos políticos gravados por Sérgio Machado, confessam nos áudios que possuem relacionamentos extraconjugais e indicam até quem seriam suas supostas amantes.