RIDÍCULO: Padre petista “esgoela” pato da Fiesp em Brasília

Duas pessoas registraram ocorrência na 5ª Delegacia de Polícia (Região Central), na manhã desta quarta-feira (6/4), denunciando terem sido agredidas pelo ex-deputado do PT Frei Sérgio Antônio Görgen (RS) durante uma ação da campanha “Não Vou Pagar o Pato”, a favor do impeachment, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O caso, segundo a denúncia, ocorreu quando os colaboradores da campanha faziam panfletagem na Esplanada dos Ministérios, próximo ao Ministério da Saúde.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

De acordo com a diretora executiva e jurídica da entidade, Luciana Freire, uma das vítimas, uma mulher, havia sido contratada para entregar panfletos. A outra vítima usava uma fantasia de pato e carregava uma placa no pescoço. Ao chegar ao local, de acordo com a ocorrência, o ex-parlamentar teria pedido à mulher que entregasse todos os panfletos. Como a mulher entregou apenas três informativos, Frei Sérgio teria arrancado os demais e rasgado alguns.

Depois disso, ainda segundo a diretora da Fiesp, ele teria empurrado a pessoa fantasiada de pato e arrancado a placa que ele levava no pescoço. Pedestres que passavam pelo local e outros integrantes da Fiesp presenciaram a agressão, socorreram a vítima e acionaram a Polícia Militar, que os encaminhou à delegacia para o registro da ocorrência. Luciana Freire disse que o ex-parlamentar alegou que participava do movimento “Não vai ter golpe” e que foi provocado pelas vítimas, mas que avançou contra o “pato” por achar que se tratava de uma estátua, não de uma pessoa.

Em entrevista ao Correio, Frei Sérgio Görgen afirmou que não houve incomum no incidente. “Estava indo a uma reunião no Ministério do Meio Ambiente quando uma moça, muito simpática por sinal, me ofereceu um panfleto. Eu o peguei rasguei em sua frente para demonstrar minha indignação com o movimento”, conta. Görgen também negou a existência da agressão a quem estava fantasiado de pato. “Pensei que o pato era um boneco. Quando fui arrancar o adesivo que estava em seu peito, vi que ele se mexeu. Não agredi ninguém”, relata.

O frei ainda disse que os manifestantes o xingaram. “Gritavam ‘velho sem vergonha, velho sem vergonha'”, lamenta. Sobre ter sido conduzido até a Delegacia de Polícia, o Frei se revolta. “Nunca vi uma imbecilidade tão grande. Sempre rasgam folhetos nas ruas e nunca há este estardalhaço todo”.
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/04/06/interna_cidadesdf,526022/colaboradores-da-fiesp-sao-agredidos-por-ex-deputado-na-esplanada.shtml