Relações “promíscuas” da Presidenta e do marqueteiro com o cabeleireiro

A guerrilheira Dilma Rousseff mudou muito. Suas convicções socialistas, pregadas na juventude, de há muito tempo foram “engolidas” pela boa mesa, bebidas caras, hotéis de luxo e, principalmente,  pelo uso do cartão corporativo para pagar primeira classe em aviões de carreira  e sustentar cachês de R$ 5 mil para seu cabeleireiro.  Trata-se de um escândalo, pois a cada 4 visitas  do “mágico” ao Palácio da Alvorada para “rebocar” a presidenta(sic petista),  o dinheiro seria suficiente para pagar, à vista, uma unidade do “minha casa, minha vida”, ou sustentar uma UTI médica por 30 dias em qualquer hospital público do país.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Merval Pereira informa na sua coluna desta sexta, 03 de junho,  que ” Em outras mensagens, há informações sobre pagamentos de itens pessoais da presidente pelo esquema montado na Petrobras, como o cabeleireiro Celso Kamura, que viajava para Brasília às custas do grupo. Cada ida de Kamura custava R$ 5 mil. Há também indicações de que um teleprompter especial foi comprado para Dilma sem ser através de meios oficiais, para escapar da burocracia da aquisição.”

João Santana, o marqueteiro, AMIGO ÍNTIMO Kamura era o encarregado de providenciar as  idas e vindas  na ponte São Paulo-Brasília.  Além de embelezar a presidenta(sic) Santana e Kamura aproveitavam para trocar algumas “IDÉIAS”!