Presidente Temer devolve PODER aos comandantes militares: A ordem está restaurada!

Os críticos e os que “torcem o nariz” para as postagens do Cristalvox, relacionadas com a área militar terão de engolir mais uma. Só os “analfabetos históricos” ou os que fazem “ouvidos de mouco” se negam a enfrentar uma realidade jascente no cenário político de 2016,  no Brasil. Políticos corruptos, instuições frágeis e esfarelando, poder judiciário sendo alvo de serveras críticas em razão da vinculação de ao menos 05 de seus membos com o Partidodos Trabalhadores,  uma presidente afatada e seu vice sob severo “fogo amigo”…
Nesse cenário, resta a Michel Temer só uma chance de ultrapassar as barreiras políticas que  se  apresentam como obstáculos aparentemente instransponíveis: Ter nos militares o seu fiel aliado e garantidor do seu mandato, ao menos até 2018.
Ricardo Noblat, colunista do Jornal O Globo informa, com exclusividade, nesta segunda, 20 de junho, que o Presidente Michel Temer  vai anunciar ainda hoje,  a revogação do Decreto 8.515  e sua retificação, assinado  em 03 de setembro de 2105, devolvendo  aos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica as atribuições que lhes foram retiradas pela presidente afastada Dilma Rousseff,  o qual trarta  da direção e gestão de cada uma das forças armadas.
Dilma delegou, entre outros poderes, o de transferir para a reserva remunerada oficiais superiores, intermediários e subalternos, reformar oficiais da ativa e da reserva, promover oficiais a postos superiores e até nomear capelães militares. E o pior: os comandantes militares não foram consultados sobre o decreto. O decreto produziu tal irritação entre oficiais superiores das três forças que Dilma, uma semana depois, acabou recuando em parte de sua decisão. Assinou uma retificação ao decreto dizendo que o Ministro da Defesa poderia subdelegar aos comandantes militares os poderes que ela havia lhe conferido.
Ocorre que o Decreto 8.515 contraria a Lei Complementar 67, de 1999. A lei dispõe que os comandantes exercerão a direção e a gestão da respectiva força (art. 4º, com a redação da LC 136/2010). Assim, Dilma não poderia delegar ao ministro competência que lei atribui aos comandantes. “O ministro não pode subdelegar competências que não poderia ter recebido por delegação, pois elas são dos comandantes”, observa o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim. Temer revogará o decreto e a retificação assinados por Dilma.