Porto Alegre, 16 de agosto: Um aparato policial desnecessário.

16ago2015---manifestante-bate-panela-durante-protesto-contra-o-governo-federal-em-porto-alegre-rs-1439757088838_615x300

Na manhã dessa sexta, dia 14 de agosto, o editor do Cristalvox foi Prá Rua! Conversou com pessoas comuns, àquelas que não estão envolvidas diretamente com as “lides” políticas. Empresários do ramo da alimentação, médicos, advogados, enfim, gente que trabalha o dia todo para pagar suas contas e os impostos mais caros do mundo. Todos concordam com a necessidade de participar, de forma direta, em manifestações que devolvam ao menos a “autoestima” dos brasileiros.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Se estou a falar em pessoas de bem, pais e mães de família que, sem medo, sairão às ruas para participar do movimento marcado para á tarde do dia 16 de agosto no Parcão – Parque Moinhos de Vento –  onde cabem, ao longo da Avenida Ghoete, 500 mil pessoas, posso afirmar com tranquilidade:  não é necessário infiltrar a polícia para “proteger” o movimento pacífico e democrático que está programado. No Parcão, se encontrarão brasileiros e brasileiras ansiosos por democracia, transparência, honestidade e HONRA.

Qualquer “arruaça” no local, por certo terá origem em “gente” apequenada, marginais de plantão, bem ao estilo do presidente da CUT que  “ameaçou” os brasileiros com “armas”. Se for necessária a intervenção da Brigada Militar e da Polícia Civil, estaremos de “plantão” para representar diante da autoridade policial contra quem “ousar” “esculhambar” o que estamos programando e faremos em PAZ!

Não precisa de polícia Parcão. Não vamos lá para brigar com ninguém. Mas se “marginais” ousarem fazer enfrentamentos, não será a polícia que vai agir. Seremos nós os “agentes” da ‘REAÇÃO”!