lula fino

Polícia Federal chegou em Lula: Propinas estão escancaradas na contabilidade do Instituto

A Lava Jato investiga as empresas de Lula. Com essa manchete o Antagonista divulga uma notícia muito mais importante do que a prisão de Palocci.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

As suspeitas, segundo o Estadão, “são que as movimentações financeiras da LILS e do Instituto Lula serviram para ocultar propinas”.

A PF se concentra, em particular, na análise dos dados de 2014, ano de deflagração da Lava Jato, quando “foi registrada a distribuição de 5,3 milhões de reais em lucros ao petista”.

E mais:

“No material produzido pela PF, os peritos comparam as datas de recebimentos pela LILS por palestras com o período em que as empreiteiras pagaram propinas a dois ex-diretores da Petrobrás: Paulo Roberto Costa e Renato Duque”.

Diz o relatório da PF:

“Insta destacar, inclusive, que os períodos nos quais as empreiteiras Camargo Corrêa e Queiroz Galvão efetuaram pagamentos de propinas à Paulo Roberto Costa, via Costa Global, coincidem com o período em que efetuaram pagamentos à LILS Palestras por serviços pretensamente prestados”.