Pedaladas fiscais de Dilma: Até seu Banco Central confessa o crime

A folha traz em matéria de capa assinada pelo jornalista Gustavo patu a informação que “destroi” a defesa de José Eduardo Cardoso na comissão do impeachment. Não se trata de “fogo amigo” do Banco Central. São fatos e contra eles não existem argumentos capazes de justificar as desastrosas ações de Dilma e sua equipe contra a economia nacional.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Dados publicados pelo Banco Central dão dimensões precisas à explosão das manobras conhecidas como pedaladas fiscais no governo Dilma Rousseff.

As pedaladas –o uso de dinheiro dos bancos federais em programas de responsabilidade do Tesouro Nacional– são a base do pedido de impeachment contra Dilma.

Os números do BC põem em xeque a tese principal da defesa da presidente, segundo a qual seus antecessores também adotaram a prática.

Por determinação do TCU (Tribunal de Contas da União) o BC calculou os atrasos em repasses do Tesouro aos bancos federais e ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) desde 2001, no governo FHC.

Os valores mostram uma tendência de alta a partir do final do governo Lula e uma disparada sob Dilma.

pedaladas  007