PDT expulsa o rebelde Cherini e se “ajoelha” diante de um “cadáver político”

O partido de Leonel Brizola não é mais o mesmo. Seu jornaleiro preferido, que está presidente do PDT Carlos Lupi se mostra um “ditador de segunda linha”. Prometeu e cumpriu: Expulsou do partido o deputado federal do Rio Grande do Sul, Giovani Cherini que votou a favor do afastamento da presidente Dilma. Para o mesmo “crime”, aplicou penas diferentes, porque Flávia Morais (GO) e Sérgio Vidigal (ES) também votaram pela abertura do processo e não sofreram a punição máxima.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Se explica a expulsão: Giovani Cherini atua na mesma região política do presidente do PDT no Rio Grande, Deputado Pompeu de Matos. Circulava nos bastidores que “pompeuzinho” que se absteve na votação, exigia a expulsão de Cherini. Pediu e levou.

Na reunião do diretório Nacional do PDT realizada nesta segunda, 30, o partido  decidiu firmar posição contra o governo do peemedebista e analisaram a situação dos deputados federais que desobedeceram a orientação do partido e votaram a favor do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff no último dia 17 de abril.