Pai nosso de “mão dadas” na igreja… Nem pensar! Medo da gripe H1N1

A confirmação de casos de gripe H1N1 em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) e o crescimento no total de registros no Estado fez a Arquidiocese da cidade mudar o rito das missas e proibir, entre outras medidas, rezar o Pai-Nosso de mãos dadas.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Um documento assinado nesta quinta-feira (31) pelo arcebispo metropolitano de Ribeirão, dom Moacir Silva, estabelece normas a serem adotadas em 95 paróquias de 20 municípios.

Segundo o arcebispo, deve ser omitido, além do Pai-Nosso de mãos dadas, o “abraço da paz”. A entrega da hóstia aos fiéis –a Sagrada Comunhão–, agora deve ser feita somente com a distribuição nas mãos, não mais diretamente nas bocas dos frequentadores das missas.

Nesta sexta-feira (1º), a Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto informou que já foram confirmados sete casos de gripe H1N1 no município, sendo três em fevereiro e quatro em março. Duas pessoas morreram –um homem e uma mulher, que já apresentavam doenças crônicas, de acordo com a pasta.

O total de casos suspeitos, no entanto, já chega a 66 nos dois meses –em janeiro, houve outros dois.

As medidas restritivas nas missas também já foram tomadas por outras igrejas de São Paulo, como as do Vale do Paraíba.

Em circular da última quarta-feira (30), o bispo dom Wilson Luís Angotti Filho determina que os responsáveis pelas paróquias devem “promover a maior ventilação possível” nos ambientes onde acontecem as celebrações e reuniões e recomenda atenção dobrada durante a comunhão para os doentes.

O Brasil já acumula 305 casos, segundo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde. O Estado de São Paulo responde por 87% das ocorrências, com 266 casos.

São José do Rio Preto é epicentro do surto de H1N1 no Estado, com 82 casos e dez mortes. A diocese da região ainda não oficializou nenhuma recomendação, mas em algumas igrejas há informações disponíveis para os fieis.