O inferno de Eduardo Cunha: Prisão e indisponibilidade de bens

O Ministro Teori Zavascki abriu prazo de 05 dias  para que Eduardo Cunha se manifeste sobre  o pedido de prisão formulado  por Rodrigo Janot, Procurador Geral da República. Após a resposta de Cunha, o Ministro Relator da Lava Jato  decidirá se prende ou não o ex-presidente da câmara dos deputados.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Eduardo Cunha está experimentando  o  “inferno” do inferno de Dante.  Não bastasse o afastamento do mandato, do cargo de presidente da Câmara, de 03 denúncias no STF, agora tem seus bens constritos pelo Poder Judiciário.

O juiz federal Augusto Cesar Pansini Gonçalves aceitou pedido do MPF e decretou a indisponibilidade dos bens e recursos financeiros de Eduardo Cunha.




Também foram bloqueados na ação de improbidade administrativa os bens da mulher de Cunha, Cláudia Cruz, do ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada, do operador João Henriques e do empresário Idalécio de Oliveira, segundo o G1.