correa nojo

O “explosivo” Pedro Corrêa sob observação em CTI de hospital de Curitiba

Na manhã desta quarta, 21 de setembro,  surgem as primeiras informações oficiais sobre o “quadro” de saúde do Pedro Corrêa, o delator da Lava Jato que “dedurou” a República.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

O ex-deputado Pedro Corrêa, de 68 anos, passou mal na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba. Apresentou um quadro de febre, tremores e um princípio de desmaio. Foi socorrido pelo doleiro Alberto Youssef na cela.  Atendido pelos carcereiros, foi levado para o hospital Santa Cruz. Segundo seu advogado, Adriano Bretas, seu quadro de saúde nesta quarta é estável. Fontes da PF informam que ele seguirá no hospital para fazer exames, sem perspectiva de alta médica.

No primeiro momento, como informou o site de notícias O Antagonista, o quadro de saúde de Pedro Correa era grave e ao chegar ao hospital foi levado imediatamente para a CTI.




O Cristalvox, dada a credibilidade do Antagonista e suas sólidas fontes, prefere “cravar” que Pedro Correa tem problemas. Aos 68 anos, diabético, hipertensivo, deprimido e sob forte pressão, fazem do ex-líder do PP um potencial “cadáver”.

Corrêa é delator na Lava Jato e está preso desde abril de 2015 na capital paranaense. Na operação, ele foi condenado a 20 anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção. Antes, já cumpria pena pela participação no caso do mensalão do PT.

Ele foi o segundo político a decidir entregar o que sabe em troca de possível redução de pena. O primeiro foi o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), que firmou acordo com a Procuradoria Geral da República.

Os depoimentos de Corrêa já foram prestados, mas a delação ainda não foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). São mais de 70 anexos de colaboração. Se o acordo for aceito, Corrêa pagará multa e poderá passar a cumprir prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica.

Conteúdo G1, Antagonista e Cristalvox