LULA LOBISTA: Procuradores apuram agora se Lula começou a ajudar a Odebrecht quando ainda era presidente da República

LULA, CHAVES E MADURO - IRMÃOS CAMARADS ATÉ EM GRANDES NEGÓCIOS
LULA, CHAVES E MADURO – IRMÃOS CAMARADS ATÉ EM GRANDES NEGÓCIOS

  Procuradores apuram se o ex-presidente, suspeito de fazer tráfico de influência internacional, usou o seu governo para favorecer construtora envolvida na Lava Jato…

A revista Época dessa semana,  traz a infoRmação de que já em maio de 2015,  revelava que o Ministério Público Federal investigava se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvapraticara tráfico de influência internacional em favor da construtoraOdebrecht. Os procuradores apuravam se, após deixar a Presidência da República, em 2011, Lula passara a usar seu prestígio internacional para ajudar a Odebrecht no relacionamento com governos estrangeiros onde desenvolve projetos financiados peloBNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Os indícios: depois de deixar a Presidência, Lula andara pelo mundo bancado principalmente pela Odebrecht, campeã em negócios financiados pelo banco. Em alguns casos, há uma sincronia entre as viagens de Lula para a África e a América Latina e a liberação de bilhões de dólares do BNDES para colocar de pé obras da Odebrecht nesses mercados. Na ocasião, Lula negou que fez lobby pela empreiteira. No entanto, a investigação sobre tráfico de influência evoluiu, converteu-se em inquérito e, no início do ano, os procuradores ampliaram seu foco: apuram agora se Lula começou a ajudar a Odebrecht quando ainda era presidente da República.

A ampliação foi possível, entre outros fatores, graças a provas colhidas e compartilhadas pela Operação Lava Jato. Com o material, as investigações do MPF em Brasília avançaram sobre a atuação da Odebrecht no governo Lula – e, recentemente, se aproximaram do ex-presidente, ao descobrirem que um apartamento no Guarujá e um sítio em Atibaia, ligados a sua família, foram reformados pela Odebrecht e pela OAS, outra empreiteira investigada no petrolão. Entre os arquivos que a turma da Lava Jato compartilhou com os colegas de Brasília estão relatórios de análise de e-mails trocados entre executivos da Odebrecht. Os dirigentes, especialmente o presidente Marcelo Odebrecht, hoje preso em Curitiba, tentavam incluir demandas da empreiteira em pautas de reuniões de Lula com chefes de Estado e autoridades de Angola, Argentina, Bolívia, Peru e Venezuela, entre outros países. Em maio de 2005, antes de Lula se encontrar com o presidente angolano José Eduardo dos Santos, a empresa preparou um documento chamado “ajuda memória”, em que relembra a importância de obras tocadas pela empreiteira no país africano.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Leia na íntegra acessando http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2016/02/mpf-investiga-se-lula-fez-lobby-na-presidencia-pela-odebrecht.html