Faxina geral na Cultura. Temer toma as rédeas do País!

Ministério da Cultura exonera 81 funcionários, de vários cargos, de uma vez.  “As exonerações fazem parte da reestruturação da pasta e do plano de valorização dos servidores de carreira, anunciado pelo ministro Marcelo Calero”


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Segundo dados colhidos no Diário Oficial da União, a Cinemateca Brasileira, em São Paulo, teve cinco diretores exonerados, entre eles, Olga Toshiko Futemma, coordenadora-geral, Alexandre Myaziato, Adinael Alves de Jesus, Nacy Hitomi Korim e Daniel Oliveira Albano. Da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas foram exonerados, entre outros, o coordenador-geral, José Roberto da Silva. Outros funcionários demitidos estavam em diretorias do Ministério, como a coordenadora-geral de prestação de contas da Diretoria de Incentivo à Cultura, Denise Terra Nunes Ribas, e em outras instituições, como o diretor do Museu Villa-Lobos, no Rio, Wagner Tiso Veiga. Também há mudanças em superintendências regionais do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Em nota, o Ministério ressaltou que as pessoas exoneradas “não tinham vínculo com o serviço público federal” e que “as exonerações fazem parte da reestruturação da pasta e do plano de valorização dos servidores de carreira, anunciado pelo ministro da Cultura, Marcelo Calero, por ocasião de sua posse”. A nota diz ainda que “a maior parte dos cargos será preenchida por servidores concursados que ocuparão cargos de chefia” e que um processo seletivo para preenchimento desses cargos será aberto quando a reestruturação do Ministério da Cultura for homologada pelo Ministério do Planejamento.

Conteúdo Correio Brasiliense