Dólar a 2,99 – Cruzeiros congelam a moeda!

navio cruzeiro

Mesmo com um cenário de crise, os cruzeiros para o Caribe estão cheios de brasileiros. “Apesar da desvalorização do real ante o dólar, temos observado um crescimento de turistas em busca dos nossos destinos na região”, diz Renê Hermann, diretor da Costa Cruzeiros para a América do Sul.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

“O Caribe foi o destino preferido [para cruzeiros] em 2015. E esse volume vem crescendo anualmente”, conta Orlando Palhares, gerente de cruzeiros da agência CVC.

O cenário pode ser explicado pelas facilidades. “O turista compra um só pacote com estadia, transporte, alimentação e visita a duas, três, até mais ilhas”, afirma Marco Ferraz, presidente da Clia/Abremar (associação do setor).

Mas o preço não é necessariamente baixo. É preciso considerar que a maioria dos pacotes não inclui voo até o porto de embarque, seja nas Antilhas ou nos Estados Unidos.

Na ponta do lápis, com a partir de R$ 3.500 por pessoa pode-se começar a planejar a viagem –dependendo do tipo de passagem aérea escolhida, da cotação do dólar e de outros fatores.

Para manter a participação do Brasil em viagens no Caribe, região por onde passa um terço dos cruzeiros do mundo, empresas estão adotando condições especiais (a Abremar estima que 160 mil brasileiros viajem anualmente em cruzeiros internacionais).

A Costa Cruzeiros e a MSC oferecem parcelamentos em até dez vezes no cartão de crédito e dólar congelado –nesta última, a R$ 2,99. Descontos de 40% e gratuidade para terceiro e quarto hóspedes são as condições oferecidas pela Royal Caribbean.

“Além disso, as companhias aéreas baixaram os preços das passagens, e muitos hóspedes aproveitam uma viagem para Orlando, Miami ou Nova York para conhecer mais um destino”, diz Ricardo Amaral, vice-presidente da Royal para a América Latina e o Caribe.
VICTOR GOUVÊA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
http://www1.folha.uol.com.br/turismo/2016/03/1753263-companhias-de-cruzeios-apostam-em-promocoes-na-crise.shtml