DIRCEU INCORRIGÍVEL!

Dirceu recebeu propina de empresa de tubos no petrolão, diz MP Grupos com contratos superiores a 5 bilhões de reais comr a Petrobras pagaram pelo menos 40 milhões de reais em propina, segundo as investigações.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado a mais de 23 anos de prisão pelo juiz Sergio Moro, recebeu propina de um flanco até então desconhecido do esquema do petrolão: o pagamento de propina no setor de compras e aquisição de tubos da Petrobras. A conclusão é do Ministério Público Federal, que detalhou nesta terça-feira a 30ª fase da Operação Lava Jato, denominada Vício exatamente pela recorrência dos mesmos corruptos em esquemas criminosos.

Ao todo, as empresas Confab Tubos S/A e a Apolo Tubos e Equipamentos, que juntas tinham mais de 5 bilhões de reais em contratos com a Petrobras, pagaram valores superiores a 40 milhões de reais em propina “para prosperar” na estatal. Segundo os investigadores, no final de 2009, executivos da empresa Apolo procuraram o operador financeiro Julio Camargo, delator da Lava Jato, e pediram orientação para serem contratados pela Petrobras. Em vez de mostrarem sua qualificação técnica, os empresários falaram abertamente sobre quanto em propina precisariam desembolsar. “É uma extorsão? Não. Os próprios empresários procuraram a propina como modelo de negócio”, diz o Ministério Público.

Camargo procurou o apadrinhado do PT na petroleira, Renato Duque, que abriu as portas da empresa para mais um braço de criminosos. A Apolo acabou conseguindo contratos de 462 milhões de reais e pagou 6,7 milhões de reais em dinheiro sujo, sendo pelo menos 25% àquele responsável por apadrinhar Duque, o ex-ministro José Dirceu. Além de dinheiro vivo, a propina foi viabilizada por meio de contratos fictícios orquestrados pelo irmão de Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, também condenado na Operação Lava Jato.

Conteúdo Veja