dinheiro sujo

Dinheiro sujo na campanha de Dilma em 2010

O jornal Folha de São Paulo, no final desta segunda, 28 de março, com matéria assinada pelos jornalistas Leandro Colon e Valdo Cruz, confirma o que o Brasil já sabia: Dinheiro sujo regou a campanha presidencial de Dilma Roussef,  em 2010.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Segundo a Folha, a publicitária Daniele Fonteles, dona da agência de comunicação Pepper Alternativa, confirmou em acordo de delação premiada que recebeu R$ 6,1 milhões de forma ilegal referentes a serviços prestados à campanha de Dilma Rousseff(PT) em 2010.  O valor, segundo ela informou às autoridades, foi pago pela empreiteira Andrade Gutierres por meio de contrato celebrado em janeiro de 2010.  A versão corrobora pela primeira vez de maneira oficial o teor do depoiento de Otávio Azevedo, ex-presidente da empreiteira, que contou, também em delação, ter pago a Pepper essa quantia a pedido da campanha de Dilma. A presidente insiste em negar qualquer irregularidade.