DILMA PERDERÁ AVIÃO PRESIDENCIAL, ASSESSORES E METADE DO SALÁRIO

Dilma não tem direiro a usar avião da FAB, residir no Palácio e  só pode receber 50 % do salário  enquanto estiver afastada. Esse foi o tratamento dado a Fernando Collor em 1992.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Integrantes de movimentos pró-impeachment pediram à Justiça Federal do Distrito Federal que seja determinado o corte pela metade do salário da presidente afastada Dilma Rousseff, bem como a proibição de uso por ela do avião presidencial, bem como de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para deslocamentos em agenda. A ação popular questiona ato do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que manteve o salário de R$ 27,8 mil e lhe concedeu direito a uso de aviões para o deslocamento.

A ação foi protocolada pela advogada Dênia Érica Gomes Ramos Magalhães em nome de Miriam Rodrigues Lopes de Barros e Alexandre Victor Borges Scavardoni. Os três são militantes de grupos favoráveis ao afastamento de Dilma. A advogada Dênia e Miriam, inclusive, assinaram um pedido de impeachment entregue pelo Movimento Brasil Livre (MBL) à Câmara no ano passado.

Em relação ao salário de Dilma, é mencionado que a Lei 1079 de 1950, que regula o processo de impeachment, prevê que durante o afastamento o presidente tenha direito a apenas metade da remuneração.

A ação foi distribuída automaticamente para a juíza Diana Maria Wanderlei da Silva, da 5ª Vara Federal.

A matéria completa pode ser lida em

http://oglobo.globo.com/brasil/acao-pede-justica-corte-de-metade-do-salario-de-dilma-19307420#ixzz48fAbz34b