Deputado Danrlei de Deus é condenado na Justiça: Perdeu a aliança de “casamento”!

O deputado Danrlei de Deus(PSD), pré-candidato a prefeito de Porto Alegre foi condenado a pagar R$ 30 mil de indenização por dano moral a duas camareiras de hotel localizado na cidade de Santo Ângelo/RS, por tê-las acusado de furto da sua aliança matrimonial. Danrlei teria deixado a aliança em cima do frigobar e saído para jantar.
Certamente a aliança era problema…
No depoimento em juízo,  as autoras da ação informaram que, posteriormente, Danrlei localizou sua aliança e outro  um assessor do deputado  compareceu no local de trabalho das autoras pedindo desculpas pela atitude do ex-goleiro do Grêmio.


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Da decisão:
As autoras postulam indenização em virtude de abalo moral sofrido devido à conduta do réu em imputar-lhes fato criminoso.
No caso, as autoras referem que foram acusadas pelo requerido de terem furtado a aliança que estava em seu quarto de hotel, sem que houvesse qualquer indicativo que permitisse ao requerido concluir serem as requerentes as autoras do furto. O demandado admite que na data relatada encontrava-se no local do fato e que perdeu a sua aliança nas dependências do hotel, contudo, impugna a alegação de que caluniou as autoras, aduzindo que apenas mostrou sua inconformidade com a situação.
Da prova coligida nos presentes autos, verifico que o réu imputou a pratica de crime às demandantes.

ISSO POSTO, com fulcro no artigo 487, inciso I, do CPC, JULGO PROCEDENTE a pretensão deduzida por Márcia Fraga Pedroso e Neli Pavão Conceição Sangaletti em face de Danrlei de Deus Hinterholz, para condenar o demandado ao pagamento de indenização relativa aos danos morais sofridos pelas autoras, no valor equivalente a R$ 15.000,00 para cada uma, corrigido monetariamente pelo IGP-M, a contar desta decisão, e com juros de mora de 1% ao mês, a contar do evento danoso (26.09.2012), nos termos da Súmula nº 54 do STJ.
Santo Ângelo, 24 de junho de 2016.

Marta Martins Moreira,
Juíza de Direito

Processo: TJ/RS Processo nº: 029/1.13.0005756-7 (CNJ:.0012136-29.2013.8.21.0029)