Avião que matou Campos era de uma “peixaria”… Aí tem!

A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos


Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

Entre as revelações da Operação Turbulência da Polícia Federal, está a constatação pelo COAF de que circulou pela conta bancária da empresa Geovane Pescados a quantia de 21 milhões de reais, desde 2013, quando foi aberta. A empresa não existe na prática. A conta da peixaria é uma das 25 usadas no emaranhado de créditos e débitos que a organização criminosa movimentava para lavar dinheiro de origem espúria – possivelmente oriundo de corrupção e desvios de verbas públicas, segundo os investigadores, e que abasteceu campanhas eleitorais. Recursos que bancariam a compra do jatinho Cessna PR-AFA que caiu e matou o ex-governador Eduardo Campos (PSB) na campanha presidencial de 2014 saíram da conta dessa mesma peixaria. A peixaria recebeu ainda dinheiro de uma empresa fantasma de terraplanagem, de uma galeria de arte e de uma empresa de pneus de Goiás. “Sobreleva apontar, ainda, a equivalência entre o montante total creditado (R$ 10.491.801,12) e o montante total debitado (R$ 10.491.031,50) da conta da Geovane Pescados Eireli nesse período, sugerindo tratar-se de mera conta de passagem dos recursos, constituindo-se em indicativo de lavagem de dinheiro”, diz a Polícia Federal. (Felipe Frazão, de Recife)




%d blogueiros gostam disto: